Páginas

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Dia de luta contra a Aids

Geralmente as pessoas falam do dia primeiro dezembro apenas no dia primeiro de dezembro, comemorando a luta contra a Aids, mas se esquecendo de que essa batalha deve ser travada diariamente.

Lutar contra a Aids atualmente é tão importante quanto almoçar, jantar, beber água, promover a circulação sanguínea em nosso corpo etc.

Algumas estatística recentemente apresentadas por órgãos oficiais e organizações não governamentais demonstram que o número de infectados por Aids cresceu significamente entre os homens com mais de cinquenta anos. A incidência de casos na região sudeste caiu, mas aumentou drasticamente nas regiões nordeste e norte.

Em síntese, não são apenas os jovens e os adolescentes que precisam se conscientizar do risco em que se colocam quando transam sem preservativo.

Daqui para frente, mais esforços coletivos (não significam necessariamente mais esforços estatais) devem ser feitos para controlar o crescimento do HIV. Vamos começar?

3 comentários:

Márcio Alexandre da Silva disse...

Pertinentes às colocações de Vicentônio quando disse “Em síntese, não são apenas os jovens e os adolescentes que precisam se conscientizar do risco em que se colocam quando transam sem preservativo”.Vejamos as considerações do Jornal Diário de Marília que afirma “Enquanto o número de casos de AIDS nas outras faixas-etárias recuaram 42%, os registros da doença entre pessoas com 50 anos ou mais tem crescido nos últimos anos. De 2004 a 2008, Programa Estadual de DST/AIDS contabilizou alta de 8% nos números de casos disseminados na terceira idade. Enquanto o número de casos de AIDS nas outras faixas-etárias recuaram 42%, os registros da doença entre pessoas com 50 anos ou mais tem crescido nos últimos anos. De 2004 a 2008, Programa Estadual de DST/AIDS contabilizou alta de 8% nos números de casos disseminados na terceira idade.” (DIÁRIO, 01 de dezembro de 2008, Marilia – SP).
Não podemos cometer o erro de pensar que os adolescentes e jovens são as únicas vítimas de doenças sexualmente transmissíveis (DST/AIDS).
Importante reflexão feita por Vicentônio.

Anônimo disse...

Caro Vicentônio, OBRIGADO pela matéria públicada no Jornal de Assis e tbm por ter se preocupado em enviar exemplares do mesmo para os mutuAntes. Cara, quando vc puder, venha nos visitar! As instalações do barraco aqui são simples, mas sinceras. Aguardo um dia poder tocar na mão que desembola estes Textos. Forte A-braço do mutuante Podrera.

Anônimo disse...

Muito bom.
Sempre leio teu blog e acompanhno teus artigos, mesmo que n{ao escreva nada. Gosto dos teus textos.