Páginas

sábado, 13 de março de 2010

FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS: 3. PREFEITURA DE MARACAÍ: ZERO.

Desde o ano passado, a Prefeitura de Maracaí adota controversa e discutível estratégia de administração pública: impor-se aos funcionários. Alvo principal: funcionários da área da Saúde.

A Prefeitura enviou um projeto de lei para a Câmara de Vereadores propondo que os funcionários da Saúde, que trabalham seis horas diárias, passassem a trabalhar oito horas. Na primeira votação, a prefeitura sofreu estrondosa derrota. Inconformada com o resultado que preservara os direitos dos trabalhadores, a prefeitura voltou a mandar projeto solicitando o aumento da carga horária dos funcionários e, mais uma vez, saiu desbaratada. O Sindicato dos Funcionários e Servidores Públicos Municipais de Maracaí se posicionou contra as investidas aos funcionários. Sindicatos e sindicalistas da região compareceram em peso às sessões da Câmara e igualmente demonstraram sua contrariedade.

Mesmo derrotada na Câmara de Vereadores, na Opinião Pública regional e entre os funcionários, a prefeitura ainda persiste em sua estratégia: entrou na justiça para derrubar os direitos dos trabalhadores. O desembargador responsável pelo caso indeferiu o pedido de liminar para que a lei que beneficia os trabalhadores fosse suspensa. São três derrotas consecutivas.

O governo de Maracaí tem, pelo menos, um vice-prefeito, um secretário municipal e um vereador que pertencem ao Partido dos Trabalhadores (PT). O único vereador do PT em Maracaí votou a favor da prefeitura.

O leitor pode perguntar: um partido de trabalhadores não deveria defender os interesses dos trabalhadores? Sim. Um partido de trabalhadores defende os trabalhadores. No caso de Maracaí, quais trabalhadores?

Talvez a população de nossa região ainda não saiba, mas a Prefeitura de Maracaí concedeu bolsas de estudos em 2009. Pagas com dinheiro público, as bolsas de estudos foram consideravelmente destinadas a pessoas que ocupam cargo de confiança (que trabalham sem concurso público e por indicação da prefeita) e que ganham bons salários. Pergunto ao leitor de nossa região: você sabe quantas pessoas ficaram sabendo dessas bolsas de estudos além dos beneficiados?

Essa é a administração PMDB-PT? Vota contra os trabalhadores da Saúde, travando até mesmo uma batalha judicial, e favorece os “trabalhadores” que não fizeram concurso público, que foram indicados pela prefeita para ocupar cargos públicos, que recebem bons salários e, de brinde, ainda ganham bolsas para estudar? E as dezenas de trabalhadores que passam o dia no sol quente, receberam bolsas de estudos? E os estudantes que trabalham a semana inteira, que ficam sem jantar e muitas vezes têm que passar necessidades para pagar a faculdade, ganharam bolsas de estudos?

Principal argumento da prefeitura para derrubar o direito dos trabalhadores da Saúde: necessidade de mais funcionários para atendimento à população.

Em 17 de outubro do ano passado, neste mesmo espaço, defendi que a prefeitura contratasse uma consultoria em administração pública para ensinar, orientar e direcionar os caminhos para uma boa administração. Uma consultoria em Administração Pública profissionalizaria o trabalho, colocando Maracaí nos eixos do progresso. Progresso se consegue com Educação. Educação superior se concretiza com bolsas de estudos.

Os funcionários – e o Sindicato – têm uma longa batalha judicial pela frente, mas já podem se regozijar de, diferentemente de outros lugares noticiados fartamente na imprensa nacional e internacional, morar numa cidade onde não existe nenhum pasquim que vive essencialmente do dinheiro público, apresentando a versão da prefeitura, como se informações e dados fossem verdadeiros. Ainda devem ficar felizes porque não existe nenhuma empresa de construção, criada às pressas e que tem a prefeitura como única cliente. Devem ficar sossegados porque não correm o perigo de prestarem novos concursos públicos por empresas abertas de última hora e que servem exclusivamente para encaixar aliados, amigos e compadres nos quadros de funcionários públicos, excluindo inexplicavelmente candidatos capacitados e formados pelas melhores universidades públicas.

Graças a Deus – e, também nesse ponto, os funcionários públicos podem se contentar – não temos nenhum charlatão, trapaceiro, aproveitador ou impostor que abusa da fé das pessoas ingênuas para enganá-las, falando besteiras diariamente, tomando café-da-manhã com Jesus, porém dormindo com o Diabo.

Vivemos numa cidade maravilhosa. Único problema: a prefeitura de Maracaí reconhecer as conquistas dos funcionários públicos da Saúde e respeitá-los no exercício pleno de seus direitos, principalmente na carga horária semanal. Enquanto se espera o desenrolar do placar e do apito final, será que vai aparecer em Maracaí algum partido de trabalhador que defenda o trabalhador?

*Publicado originalmente na Folha do Vale (Tarumã – SP) de 13 de março de 2010.

3 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

acreditar em partido que se diz de trabalhador numa altura dessa do campeonato que um presidente diz explicitamente que apoia a ditadura de cuba e de chavez? - Erenice, sou ourinhos e acompanho seu blog porque meu filho é seu fã

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.